Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Curso de Eletrotécnica desenvolve sistema de automação de iluminação residencial por comando de voz

  • Publicado: Sexta, 11 de Outubro de 2019, 21h25
  • Última atualização em Sexta, 11 de Outubro de 2019, 23h08
  • Acessos: 346

O curso técnico integrado de Eletrotécnica do IFPA/Campus de Tucuruí desenvolveu um Sistema de Automação de Iluminação Residencial por Comando de Voz e o apresentou aos alunos do curso preparatório para o processo seletivo da Instituição, no Campus da Avenida Brasília. De iniciativa do professor e orientador Leandro Sá e do estudante Gabriel Ferreira, o sistema é fruto de um projeto integrador, trabalho elaborado no final do curso técnico.

No projeto, foram desenvolvidos o circuito de controle de iluminação das lâmpadas e um aplicativo, que reconhece os comandos de voz para ligar ou desligar as lâmpadas dos cômodos de uma residência. A comunicação do aplicativo com o circuito é realizada por meio do bluetooth. No protótipo foram considerados quatro cômodos: banheiro, cozinha, sala e quarto. 

O professor Leandro Sá explica como seria a implantação do sistema em uma residência: “Em vez desses conectores que estão ligando o interruptor das lâmpadas à placa, eles iriam conectar os fios que estão vindo da lâmpada; em vez da lâmpada para o interruptor, iria da lâmpada para a placa. Esse daqui, para o controle de quatro conjuntos de lâmpadas, saiu por menos de 200 reais”.

Gabriel de Sousa Ferreira, aluno concluinte do curso técnico integrado em Eletrotécnica, conta como foi a experiência em participar dessa iniciativa: “Acho que é revigorante, porque a gente aprende a mexer em uma área específica do nosso trabalho. Essa parte de automação residencial, predial e comercial é uma tecnologia muito abrangente hoje em dia, nos países mais modernos, e ajuda muito as pessoas que têm alguma necessidade, por exemplo: pessoas mais idosas ou que sofreram alguma mutilação ou que nascem com algum membro atrofiado. Isso ajuda a não se sentirem confinadas”.

Ainda segundo o professor Leandro, nessa primeira versão, devido a comunicação do aplicativo com a placa acontecer por bluetooth, o aparelho celular e o circuito devem estar em uma distância de até 10 metros para que o comando funcione. Por isso, uma melhoria para o projeto seria utilizar o Wi-Fi em vez do bluetooth.

 

Texto: Maurício Sousa - IFPA/Campus Tucuruí.

registrado em:
Fim do conteúdo da página