Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Dia da Mulher é comemorado no Campus Tucuruí do IFPA

  • Publicado: Quinta, 08 de Março de 2018, 10h37
  • Última atualização em Sexta, 09 de Março de 2018, 08h02
  • Acessos: 209

Na manhã desta quinta-feira (08), o Campus Tucuruí do IFPA organizou dois momentos em homenagem ao Dia da Mulher, que aconteceram no Campus da Avenida Brasília. Às 09h, foi oferecido um café da manhã para as servidoras e colaboradoras da Instituição. Em seguida, às 10h, houve uma mesa-redonda no Auditório Central, abordando o empoderamento feminino frente ao assédio moral e sexual, tendo como mediadores a professora de História, Marley Silva; o professor de Sociologia, Marcelo Melo; e o pedagogo e advogado Ronaldo Meireles, com a participação do pedagogo Robson Tavares que direcionava os comentários. Os mediadores deram início à discussão logo após as falas do diretor geral substituto, Leonardo Mezzomo, e do diretor de Ensino, Agnaldo Mezzomo.

A professora Marley iniciou a discussão, abordando os aspectos históricos da condição da mulher na sociedade, falando sobre a luta feminina em busca de direitos e destacando personalidades desse gênero que ousaram em suas épocas. A explanação histórica realizada pela professora percorreu o período colonial, a conquista do direito ao voto, chegando aos dias atuais e expondo dados sobre a violência ainda sofrida pelas mulheres. Entre as informações, Marley apontou números do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2015, relatando que uma mulher foi estuprada a cada 11 minutos naquele ano.

Em seguida, o professor Marcelo falou sobre a mulher no aspecto sociológico. Já no início, ele explicou que enquanto homem e membro da mesa-redonda, não estava ali para roubar o protagonismo das mulheres, mas participava do evento como aliado, apontando para o público masculino ali presente os tipos de discursos que precisam ser desconstruídos por esse grupo. Para isso, ele exemplificou comentários que costumam ser ditos em ambientes de trabalho, sala de aula e na rua, que muitas vezes constrangem as mulheres ou as tratam com um olhar objetificado.

Por último, o pedagogo e advogado Ronaldo abordou as questões do Direito relacionadas ao assédio moral e sexual. Em sua fala, ele fez referências aos Direitos Fundamentais expressos na Constituição Federal de 1988, como a igualdade entre homens e mulheres, explicando que existe uma diferença entre a igualdade formal (que está na lei) e a igualdade material (vivenciada na prática), que é o objetivo. Além disso, o advogado também explorou temas relacionados ao direito à intimidade, privacidade, honra e imagem, assédio moral e sexual, violência moral e psicológica, estupro e bullying.

Após a apresentação da temática, abordada pelo olhar histórico, sociológico e jurídico, a fala foi passada aos presentes no auditório para perguntas e comentários.

 

Texto: Maurício Sousa - IFPA/Campus Tucuruí.

registrado em:
Fim do conteúdo da página